A Rotina de Um Detetive Particular.

O detetive particular lida com uma rotina muito peculiar, sem muitas repetições e em muitas vezes repleta de imprevistos. O trabalho deste profissional não têm horário para começar e nem para terminar. Por isso, o detetive particular precisa adaptar sua vida a rotina do objeto de investigação.
Na maioria dos casos, o detetive particular é contratado para investigações de âmbitos conjugais, onde o parceiro está desconfiado da fidelidade do outro. Diante disso, na maioria das vezes o objeto a ser investigado age de forma natural, mas em horários que variam muito, para não levantar suspeita.

Diante disso, o precisa estar atento a todos os movimentos, estar bem equipado e treinado, principalmente intelectualmente, para saber agir de forma natural e saber lidar com os imprevistos sem comprometer o andamento da investigação.

Após iniciar uma investigação, o não tem prazo definido para a finalização do mesmo. Em alguns casos, a investigação pode durar apenas um dia, mas na maioria das vezes, os casos se estendem por meses.

O que define o prazo de uma determinada investigação de um detetive particular?

É a complexidade a qual o objeto a ser investigado se encontra. Casos extraconjugais tendem a ser mais fáceis para a investigação do detetive particular chegando a durar menos de uma semana em algumas vezes. Porém, investigações mais complexas, como as que envolvem informações industriais, por exemplo, exigem um grande empenho do detetive particular, que chega a trabalhar no caso durante meses e muitas vezes, se deslocando entre cidades e estados.
Dizer que uma investigação pode se estender por meses, não significa dizer que o detetive particular estará trabalhando neste caso todos os dias, batendo cartão, como num trabalho comum. Na maioria das vezes, o detetive particular investiga o objeto em momentos esporádicos, onde o investigado muda a sua rotina, podendo levantar suspeitas e ratificar ou não a causa da investigação.
Portanto, a rotina de um profissional de investigação é moldada à necessidade do solicitante, assim como, da rotina do objeto de investigação, gerando um cotidiano específico e que muda a todo instante. Sendo assim, a profissão de detetive particular não é para qualquer pessoa e sim, para aqueles que não gostam de rotinas e que curtam adrenalina.




Deixe um comentário

Outros textos de "Atendimento ao Cliente"