Antônio Zabala Aprender Ensinar Competência. Concurso Público.

Como aprender ensinar competências.

Concurso Público. Antônio Zabala

 

Antônio Zabala.

Mestre da Pedagogia.

Desenvolve um trabalho.

Com objetivo de oferecer instrumentos.

Que ajudem os professores interpretarem.

A realidade.

Ao mesmo tempo compreender.

O que acontece em sala de aula.

Para melhor desenvolver o que se deve fazer.

Tomar as medidas certas.

Visando objetivar o funcionamento pedagógico.

Revisar sempre o que foi ensinado.

O que de certo modo não está claro.

Para o aluno.

A prática educacional.

Exige análise objetiva.

Consiste em fazer o professor ser.

Exatamente competente naquilo que deve.

Ser ensinado.

O que significa proceder como bom professor.

Portanto, o mesmo deve ter domínio.

Dos processos de sínteses.

O que se chama pedagogicamente.

De competência adquirida.

Ninguém é bom professor sem o saber.

Constituído.

O trabalho é impedido.

Na medida em que os alunos perceberem.

A ignorância do professor.

A Pedagogia é desenvolvida mediante.

O conhecimento e a experiência.

São diversas variáveis do saber.

Conhecê-las permitirá o professor.

Planejar o projeto pedagógico.

Portanto, é fundamental a avaliação.

Para a retomada da elaboração do saber.

Necessário à defesa do conjunto das atividades.

Definidas e estruturadas.

Para efetivação dos objetivos.

Como fundamento do início, meio e fim.

A ordem sequencial das atividades pedagógicas.

Com conhecimento de cátedra.

Entender o mecanismo.

Das lógicas sequenciais.

Definindo o mecanismo.

Na lógica do papel do professor.

E sua relação com os alunos.

Como devem ser organizadas as aulas.

A exposição dos conteúdos.

O uso do material didático.

As dificuldades normais.

As perspectivas curriculares.

Papel da avaliação.

A pergunta fundamental.

Para que educar.

O fundamento da epistemologia.

A função do saber e sua relação.

Com o papel das disciplinas.

A função social e política.

Com  o mecanismo.

Do ensino aprendizagem.

A função do professor.

É determinar os objetivos.

Da  educação.

Objetivar as capacidades.

Para o desenvolvimento dos alunos.

A no uso técnico da cognição.

Na busca da autonomia pessoal.

No atendimento a lógica.

Atual do campo social.

Atendimento a lógica do campo social.

Aplicação da epistemologia política.

Toda forma de fundamento se dá.

Naturalmente no campo epistemológico.

Constituído na seguinte interrogação.

O que se deve saber? O que se deve fazer.

A terceira perspectiva.

O que deve ser.

Desse modo propõe como saída.

A formação integral do professor.

A natureza dos diversos conteúdos.

Zabala ensina que não é possível ensinar nada.

Sem considerar como referência alguma coisa.

As diversas naturezas do saber.

No desenvolvimento da aprendizagem.

O professor deve  levar em consideração.

As diversidades dos alunos.

O modelo de estruturação.

Para a formação dos caminhos.

Da formação da lógica pedagógica.

Em defesa do mecanismo do ensino.

O critério do desenvolvimento.

Do ensino aprendizagem.

Serão sempre os conhecimentos prévios.

De cada aluno.

Zabala é um construtivista.

Defende a natureza das complexidades.

Dentro de o mecanismo do ensino saber.

Constituído.

O aluno terá que ajudar no estabelecimento.

Da prática elaborada.

Na ação construtivista.

O aluno não poderá deixar de ser.

Protagonista na construção do saber.

A natureza da dialética do entendimento.

Desenvolve o movimento pedagógico.

Passando por diversas etapas complementares.

Desenvolvendo atividade mental do aluno.

Até chegar a formulação do entendimento.

Puramente lógico.

O entendimento das relações factuais.

Situações dadas.

Aos fenômenos reais.

Situados nas realidades singulares.

Os alunos compreendendo os modelos.

De análises.

As equações de cidadania.

O uso da linguagem.

Nos processos de construção.

O processo das sínteses.

O mundo das significações.

As representações da realidade.

As formulações de causa e efeito.

No caminho do mundo empírico.

Na constante  interpretação epistemológica.

Como sujeito real por parte do aluno.

Na compreensão do objeto.

Diferente da interpretação em relação.

A teoria da compreensão.

O que possibilita a interpretação.

De um objeto.

É o caráter relativo do campo da subjetividade.

O que é exclusivamente.

Do método pedagógico interdisciplinar.

O campo da compreensão.

Muito diferente.

Pertence ao mundo das ciências.

Naturais.

Atende a pedagogia transdisciplinar.

Compreende apenas os objetos.

Da objetividade.

O que não admite a interpretação.

Compete ao professor entender.

Todas as complexidades.

O que significa a impossibilidade.

No desenvolvimento da prática pedagógica.

Com baixa qualificação cultural.

A pedagogia não é uma questão de método.

Pois envolvem complexidades.

Domínio de todas as variáveis possíveis.

No domínio do mecanismo da construção.

Do saber epistemológico.

Edjar Dias de Vasconcelos.

 




Deixe um comentário